Florindas coleção 2016

Coleção marcada por extremos cromáticos.  Por um lado, tons de branco, areia e perola.  Suavidade e leveza, remetendo para ambientes calmos e puros. Por, outro, uma verdadeira explosão de cores e padrões com inspiração em ambientes de floresta tropical. Cores fortes, que se servem das Florindas como telas de pintura.

Areia

Tons de areia e casca de ovo. Flores que nos lembram o prazer de andar descalços na areia. Sentir a suavidade de um beijo de mar a espumar-se por entre os dedos. A fragilidade e a proteção da casca de ovo, com as suas inúmeras possibilidades de gerar um novo ser. Flores como espigas maduras em época de colheita. Flores como promessas de sementes de perpetuação de ciclos.

Alba

Algodão, nuvem, leite, giz, promessa, puro, leve, fresco, neve, compromisso, possibilidade.

Dama

Flores com cheiros de baús antigos repletos de segredos. Flores com histórias de viagens e de outras épocas. Flores que nos lembram a nossa infância. Flores com cheiro a terra e a perfumes doces. Flores delicadas e requintadas. Flores de ternura.

Lago

Nenúfares e coaxar de rãs, num lago. A profundidade escondida pelo verde das algas. Uma cascata que escorre sobre o musgo verdejante, macio e fresco. O deslizar de um caracol. Flores com cores fortes e escuras. Flores de ambientes silenciosos e húmidos.

Tropical

Uma ave tropical legou-lhes as cores e transportou-as pelo mundo. Design simples de cores fortes e contrastantes, mantendo o verde tropical e a frescura.

Nymphaae termarum, foi identificada há 25 anos no Sul do Ruanda, em Mashyuza, perto de uma nascente de água quente. Desapareceu do seu habitat natural encontrando-se em vias de extinção. No entanto, em 2009, alguns exemplares foram levados para o Kew Gardens, e o especialista em plantas Carlos Magdalena conseguiu que a minúscula espécie voltasse a nascer em Londres.

Nymphae termarum, é o nenufar mais pequeno do mundo. O diâmetro do botão em flor, tem um centímetro. Existem agora cerca de 30 exemplares, já em flor e com sementes, graças ao trabalho de Carlos Magdalena, e aoKew Gardens.

Arlequim

A exuberância da selva, no seu emaranhado de ramos e folhagens numa dança constante em direção ao calor do sol. Neste mundo verde e viçoso as flores deslumbram-nos com cores fantásticas e de uma intensidade estonteante. A sua aparência lembra-me um Arlequim, feliz, brincalhão, provocador, à espreita, à espera, para nos surpreender.

Pintura

Uma palete de cores que um artista tentou condensar num corpo de flor. Salpicos de vida e de alegria. Flores de diversidade. Flores que nos oferecem o arco-íris.

 

Morango

Polpa de morango sumarento e denso. Vermelho vivo de sangue e paixão. Um amarelo forte e quente que faz circular a sua seiva, a sua força a sua fecundidade.