Ateliers temáticos de feltragem manual para crianças

Formadora em Workshops de feltragem manual com água e sabão para crianças, promovidos pela Agência de promoção da Baixa de Coimbra e pela Liga dos Amigos do Museu Nacional Machado de Castro, em Coimbra, 2013 e 2014.

Ilustração têxtil

Adoro ilustrar conceitos e histórias e tenho-me desafiado a ilustrar recorrendo aos têxteis. Gosto dos resultados, o que me leva a querer continuar a experimentar novas combinações e leituras.

Participei com trabalhos em têxtil, combinados ou não com outros materiais, em exposições coletivas de ilustração. São disso exemplo os trabalhos: Fibras de espuma;  Colo de mãe e Xarirabam.

 

Fibras de espuma

Ilustração têxtil do poema “Bolas de sabão”

Feltragem com lã de merino e muitas bolas de sabão. Pormenores bordados com fio de algodão e prata em ponto cadeia.

Bolas de sabão
Sopradas de ar
Descem…
Bailando,
Suaves,
Redondas,
Leves…

Pintadas de luz
Brilham…
De azul,
Turquesa,
Magenta,
Dourado,
Prateado,
Preto…

Saltamos 
Para as agarrar
E desfazem-se na mão,
Frágeis,
Em breves salpicos
De água e sabão…

Sopradas de ar
Sobem…
Sobem,
Sem ninguém as apanhar,
Até ao mundo dos sonhos;
Arrastadas pela brisa
Que também gosta de brincar!

Alice Cardoso

 

Exposição coletiva no IPJ em Coimbra

Desafio: ilustrar o poema “Bolas de sabão”; autoria da escritora Alice Cardoso.

Participação na exposição coletiva de ilustração, sobre o tema Dar Vida e Cor ao Sonho, dinamizada pela Associação Recortar Palavras, com o trabalho intitulado “Fibras de espuma”, no Instituto Português da Juventude, em Coimbra, em 2013 e na Livraria Centésima Página, em Braga, em 2014

 

Colo de mãe

Técnica mista: aplicação de tecidos, pontos bordados, colagem de impressão de aguarela e pintura em tecido.

Colo de mãe

Deixa-me sentar no teu colo,
O trono da rainha,
Para descansar
Das minhas viagens
De tanto sonhar…

Dancei no céu
Com as estrelas.
Vesti-me de prata,
Como o luar.
Voei na cauda de um cometa,
Nas minhas viagens
De tanto sonhar…

Fui a bela princesa
Que feliz vivia,
Num lindo castelo à beira-mar.
Tinha um cavalo
Com asas de vento,
Nas minhas viagens
De tanto sonhar…

Brinquei com génios
E com ninfas,
Com fadas de varinhas de encantar.
Nadei com baleias e golfinhos,
Nas minhas viagens
De tanto sonhar…

Deixa-me sentar no teu colo,
O trono da rainha,
Para descansar…
E ganhar força para seguir
De novo
Nas minhas viagens
De tanto sonhar!

Alice Cardoso

 

Participação na exposição colectiva de ilustração, sobre o tema Dar Vida e Cor ao Sonho, dinamizada pela Associação Recortar Palavras, com o trabalho intitulado “Colo de mãe”, no Espaço C, do Coimbra Shopping, em Coimbra, entre os dias 2 e 12 de Fevereiro de 2014.

Desafio: ilustrar o poema “Colo de mãe”; autoria da escritora Alice Cardoso.

Xarirabam

Feltragem manual com água e sabão, aplicação de tecidos e bordado manual.

Desafio: ilustrar um conto juvenil “Xaxirabam”; autoria da escritora Alice Cardoso.

“Xarirabam”

O homem agitou-se na cama, encharcado em suor. Atirou para trás os finos lençóis de seda e olhou o vazio.
A escuridão inquietava-o. 
Na sua cabeça, latejava a estranha palavra “Xarirabam”.

“Xarirabam”
A palavra que vivia em si e que o acordava vezes sem conta para o medo…

Esperou… sabia que iria começar a ouvir…

TRAC! TRAC!
Iniciara!

Ela ganhara vida. Porque à noite ela sempre ganhava vida!

TRAC! TRAC!
O ruído … um estalar ensurdecedor no meio do silêncio.

(…)

Alice Cardoso

Participação na exposição coletiva de ilustração, “Xarirabam”, dinamizada pela Associação Recortar Palavras e patente na Torre de Almedina, entre 5 de Junho e 4 de Outubro de 2014, em Coimbra.

Ateliers com histórias

Dinamização de atividades em festas de aniversário e em contexto escolar, utilizando as mantas com histórias.

Ateliers de costura temáticos para crianças

Formadora em Workshops de costura criativa para crianças, promovidos pela Agência de promoção da Baixa de Coimbra e pela Liga dos Amigos do Museu Nacional Machado de Castro, em Coimbra, 2013 e 2014.

Manta de memórias

Manta de memórias

 

 

Escrevemos a palavra escola.

A flor da amizade nasceu

numa manta retalhada de memórias

que aconchega o nosso coração.

É uma flor da amizade

sem tempo, sem idade…

Fortaleceu o caule da inteligência,

sacudiu as pétalas do sorriso

e perfumou a nossa infância.

Voltou a cabeça

à procura do sol da bondade

e soltou, suavemente, grãos de pólen

sobre a mesa.

Depois brotou até ficar

com fios de raizes bordadas

em nossa natureza!

 

Texto coletivo realizado pelo 3º B, da EB1 Norton de Matos, 2014/1015, Coimbra