A feltragem é o processo de criação de um tecido, durável. É uma transformação maravilhosa de pedaços de fibras de lã pura, numa tela não tecida.

É a mais antiga técnica conhecida para criar um têxtil, tendo surgido antes da tecelagem ou da fiação.

Existem dois tipos de feltro: feltro artesanal, e feltro industrial.

A feltragem é possível por causa da estrutura da lã, das escamas que possui, embora algumas fibras sejam mais fáceis de feltrar do que outras. O feltro é produzido pela pressão e fricção das fibras, que se condensam e entrelaçam, possibilitando a criação de tecidos consistentes.

Na feltragem tradicional encontramos duas técnicas distintas. O feltro molhado e o feltro seco, trabalhado com agulha.

Feltragem com água e sabão

Feltragem manual com água e sabão

Na técnica de feltragem molhada, ou feltragem com água e sabão, a fibra natural de lã, é estimulada por um processo de fricção e lubrificação, com  a água quente e sabão  (normalmente de azeite puro), abrindo as escamas das fibras, que se entrecruzam e entrelaçam, nos movimentos de rolar e amassar.

Trata-se de um processo contínuo e demorado, trabalhando-se com a fricção pequenas porções de fibras de cada vez. Ao serem fricionadas, as fibras de lã passam por um processo de encolhimento, que aumentará com a força e com o tempo que se estiver a esfregar. O feltro torna-se cada vez mais duro e resistente e encolhe bastante. As fibras, ficam tão aglomeradas, que o tecido resultante pode ser trabalhado e costurado.

Provavelmente, já todos tiveram o desgosto de “perder” uma peça de lã, que encolheu dois ou três tamanhos, depois de ter sido lavada à máquina com água quente e detergente. Essa peça passou por um processo de feltragem!

Antes de iniciar uma peça com esta técnica é conveniente, fazer uma pequena amostra, para se ter a noção do encolhimento de cada lã e de qual será a mais indicada para cada projeto.